sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

Cartas...

Quão grande avanço, ao homem, utilizar-se da escrita, letras grafadas, sobre papiros, papéis, madeira, tecidos…ainda que a letra mata se não vivificada… ora, mas o próprio Deus, que é pai de todos os espíritos, vivificou letras benditas, talhando-as com fogo sobre tábuas de pedras polidas… Deus é escritor! E noutro tempo lavrou à um rei profano, condenações, em que o próprio réu assistiu o dedo de Deus redigir a sentença sobre paredes e estuques… Deus, o Escritor, possui livros, e a direita do trono havia um que somente seria aberto se Cristo na terra não fosse vencido. E Cristo Venceu! Dá um glória!… Deus redige novas páginas, em todo momento, no livro das crônicas… são registros de histórias, muitas de choro, lágrimas, todas a respeito de seu filhos… e de tempo em tempo, inverte os papéis, de escritor para leitor, quando folheia-o página por página, buscando razões para tirar da cova ou da forca seus santos remidos… Em muitos casos uma única página terá muita valia, como nas mãos de Neemias, era apenas uma carta, porém com decreto lavrado de restauração, prenúncio de que viriam melhores dias … e o que diria o próprio Cristo ressuscitado, que no céu, após recebido, abriu o livro sete vezes selado, sim, pois venceu este mundo, porém, Ele próprio também foi escritor, ainda que não escreveu mas ao menos ditou, a João, as sete cartas a serem enviadas aos anjos das sete igrejas da Ásia... Ora, João enviou as cartas, mas antes ainda que houvessem igrejas na Ásia, Paulo fundou-as por Cristo, e de longe enviava cartas, o apóstolo dos apóstolos planava sobre as asas do Espírito e compunha suas epístolas... Paulo e João escreveram, em ocasiões diferentes, Paulo bem mais que João, mas, todavia... se João não escreveu tantos livros e epístolas, ao menos escreveu entre os poucos o sagrado livro das profecias, que sela o final das sagradas escrituras... é o profeta da mãe de todas as revelações! A revelação maior por excelência! Na consagração do profeta, arrebatado em espírito, veio não um serafim com brasa em tenaz, mas um anjo potentoso, com uma perna sobre a terra e outra no mar, trazendo na mão um livrinho escrito por dentro e por fora, oferecendo-o dizendo: Come-o, João! O sabor foi suave e doce ao paladar, mas a boca fez-se amarga ao atingir-lhe o ventre, tão doloroso tal qual engolir uma brasa! Livros, cartas, escritos... Deus tem em memória o passado longínquo, sua memória são páginas de livros aos quais tem acesso irrestrito! E folheou, agora, um pesado livro, e em página específica, lendo decidiu que, independente do que o inferno fez contra ti, algo ainda pesa ao teu favor, e decidiu tua sorte e destino: na capa desse livro está escrito LIVRO DA VIDA, e o teu nome ainda está aqui…

Fica com Deus...

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Comentários estão liberados por tempo indeterminado, pois não terei condições, por algum tempo, de moderá-los (estarei sem internet durante algum tempo então não sei quando exatamente retornarei) por isso comentem a vontade e os comentários serão publicados automaticamente, porém, fica assim, logo que consiga voltar e lê-los, caso haja algo ofensivo ou inadequado, irei deletá-los, ok? (porém, tenho que ser justo: todos que passaram aqui e comentaram ou não, até este momento, só trouxeram alegrias). Ah, sim... ainda em tempo, há um post muito indigesto neste blog, se chama "Será que vale a pena...?", este post é tão horrível que, até este presente momento, só mesmo eu tive coragem de comentá-lo, por isso, para promover aquele texto (poema????) horrendo, os heróis (que Deus lhes proteja) que conseguirem comentá-lo concorrerão a uma caixa vazia do meu remédio faixa-preta, com uma dedicatória e meu autógrafo. Fiquem com Deus, assim que possível, retornarei. Bye.